A atual crise hídrica já é considerada uma das mais intensas da história do país em quase um século. Com o nível dos reservatórios cada vez mais baixos por conta da quantidade insuficiente de chuvas, outro desdobramento também é realidade: a crise energética e o risco de apagão. 

Diante desse cenário, uma constatação é emergencial: os condomínios sem hidrômetros individualizados são vilões no consumo e na economia de água – já que, em muitos casos, não há comprometimento e engajamento individual das famílias. Diante desse cenário, vale ressaltar que as atitudes de moradores e inquilinos são fundamentais para combater a falta de água. Confira, mais adiante, o que fazer para economizar água em condomínios.

A situação crítica também atingiu a conta de luz e a crise energética também já é uma ameaça real. Somado a isso, uma pesquisa do SíndicoNet mostra que mais da metade dos condomínios do país ainda não adotaram medidas para reduzir o consumo de água e luz. 

Por essas razões, listamos aqui dicas básicas de conscientização que, se aplicadas, podem aliviar o bolso e também resgatar o senso de comunidade:

  • Tome banhos mais curtos
  • Conserte vazamentos internos
  • Ensaboe toda a louça antes de enxaguá-la
  • Não use o vaso sanitário como lixeira. Aperte apenas uma vez a descarga
  • Evite lavar o carro ou lave com balde
  • Lave roupa uma vez por semana
Foto de uma mulher de costas tomando banho para ilustrar uma das dicas para amenizar a crise hídrica e energética que estamos vivendo que é tomar banhos mais curtos

Pesquisa SíndicoNet: Crise hídrica e energética

Confira mais detalhes da pesquisa que ouviu mais de 2 mil síndicos de todo o país:

  • 48% informaram que tomaram alguma medida para economizar água ou luz
  • 52% não aplicaram nenhuma medida 
  • 18% não adotaram nenhuma ação, mas estão providenciando

Ainda segundo o SíndicoNet, 66% dos condomínios ouvidos em todo o Brasil não possuem hidrômetros para medição de água individualizada. Além disso, 75% não têm geradores de energia elétrica, 3% pretendem adquirir e apenas 21% possuem o equipamento.

Leia também: Área comum do condomínio, regras que você deve conhecer

Hidrômetros

Por outro lado, para combater a crise hídrica e energética, a pesquisa mostra que muitos já estão ou pretendem tomar medidas sobre o uso racional de água e de energia elétrica, como por exemplo:

  • Campanhas de conscientização (40% dos condomínios)
  • Inspeção contra vazamentos (35%)
  • Instalação de hidrômetros (33%)
  • Poço artesiano (12%)* – *importante respeitar as diretrizes técnicas, seguir as leis e garantir a preservação de recursos naturais
  • Reaproveitamento de água da chuva (22%)
  • Reuso de água (17%)

Energia elétrica

Com relação ao uso consciente de energia elétrica, a amostra diz que 12% dos condomínios já possuem ou pretendem fazer a instalação de energia fotovoltaica (ou usam painéis solares). Outras medidas identificadas na pesquisa são:

  • Troca de lâmpadas fluorescentes pelas de LED (89%)
  • Reforma na parte elétrica (32%)
  • Elevadores e equipamentos mais modernos (23%)
  • Sensores de presença (78%)

Por fim, ainda segundo a pesquisa do SíndicoNet, boa parte dos condomínios têm sistema de captação de água da chuva, mas não reaproveitam a água. Nesses casos, os empreendimentos já são construídos para ter esse tipo de reservatório, contudo, não reaproveitam a água pois a implementação do sistema não é tão simples de ser feita. Nesse sentido, o levantamento do SíndicoNet mostra que:

  • 16% dos condomínios já reaproveitam a água da chuva
  • 51% não reaproveitam essa água
  • 15% desconheciam essa possibilidade
  • 18% não sabiam, mas têm interesse em reaproveitar a água da chuva

De acordo com a Sabesp, por enquanto, não há risco de desabastecimento de água na região metropolitana da capital paulista e Grande São Paulo, mas em nota enviada à imprensa, a empresa destaca a necessidade do uso consciente da água a fim de amenizar a crise hídrica e energética. “Neste momento de estiagem, a queda no nível das represas é esperada e a projeção da Sabesp aponta níveis satisfatórios para os próximos meses, até 2022”.

A pesquisa do SindicoNet foi realizada nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal.



 (*) O SíndicoNet (https://www.sindiconet.com.br/) é a principal plataforma de conteúdo, capacitação e serviços referência para síndicos, condomínios e administradoras condominiais do país. A companhia oferece também cursos de capacitação de síndicos com a plataforma ‘SíndicoNet Experts’, e o portal ‘SíndicoNet CoteiBem’, marketplace para cotação de serviços de todos os tipos para condomínios com mais de 5.000 fornecedores em mais de 200 cidades do país, cadastrados e avaliados por síndicos e administradoras de condomínios. Mensalmente, a página do SíndicoNet registra mais de 1,2 milhão de visitas. Fundado em 1996, o SíndicoNet foi adquirido pelo QuintoAndar em 2020, mas mantém sua operação independente e focada em fortalecer o ecossistema condominial do país. Para mais informações, acesse: www.sindiconet.com.br e www.coteibem.com.br