Por Westwing

O estilo modernista é um dos movimentos mais influentes no design brasileiro. Isso porque ele se tornou uma das maiores revoluções culturais da história em diversas áreas, como literatura, teatro, música, arquitetura e design. 

O modernismo teve um dos seus ápices mundiais no Brasil, tendo influência até os dias atuais. Dentre os principais nomes de designers modernistas estão Lina Bo Bardi, Vilanova Artigas, Oscar Niemeyer e alguns outros internacionais, como o casal Charles e Ray Eames e Le Corbusier. 

Sala de estar com decoração modernista, móveis de linhas retas e cores neutras | Fonte: Pinterest | CasaVogue

Já a decoração modernista se caracterizou por ângulos retos, maior exploração do uso de design e arte com a arquitetura, e intenso uso do concreto armado, uma técnica que mescla barras de ferro com concreto, fortalecendo os dois materiais. 

Como fazer uma decoração modernista?

Para criar uma decoração modernista em casa, é preciso ter em mente os princípios da arte modernista: a valorização do simples, limpo e prático ao invés dos ornamentos exagerados.

Quarto com decoração modernista e linhas retas | Fonte: Pinterest | CasaVogue

Por isso, o estilo modernista é voltado para o básico, sendo perfeito para montar ambientes clean e sofisticados. Vale apostar em materiais naturais, como vidro, cimento, couro, fibras naturais, metais e madeiras sem tratamento, evitando ao máximo móveis, adornos e luminárias muito elaboradas.

Sala de jantar com decoração modernista e mesa de jantar com linhas retas | Fonte: Pinterest | CasaClaudia

Além disso, para uma decoração modernista nos móveis é preciso se atentar ao excesso de curvas, dando preferência para os modelos com linhas retas verticais e horizontais.  

Móveis para aderir à decoração modernista

Pensando em formas de levar a decoração modernista para dentro da sua casa, separamos 9 nomes de designers modernistas e destacamos suas principais obras que são perfeitas para levar mais estilo, sofisticação e história para a sala de estar. Confira!

Sergio Rodrigues e a poltrona Mole

Desenhada em 1957, por Sergio Rodrigues, a poltrona Mole se tornou um verdadeiro móvel icônico, com mais de 60 anos de existência e presença nas casas brasileiras com decoração modernista. 

Poltrona Mole em castanho claro, com pufe, na sala de estar. Fonte: Bia Teixeira

Como seu próprio nome já pressupõe, a poltrona Mole encanta e chama atenção através de sua textura macia e aconchegante. Além disso, ela pode ser facilmente incorporada em diferentes estilos de decoração, sempre agregando sofisticação. 

Oscar Niemeyer e a cadeira de balanço Rio

Oscar Niemeyer, nascido no Rio de Janeiro, se formou como engenheiro-arquiteto e se consagrou através de importantes prêmios, como o Pritzker, em 1988. 

Ao mudar-se para França, em 1967, contou com a colaboração de sua filha única, Anna Maria e, entre 1977 e 1978, criou a peça icônica cadeira de balanço Rio, inspirada nas paisagens cariocas. 

Cadeira de balanço Rio posicionada no quarto. Fonte: São Romão Móveis

A peça é resultado do projeto da dupla, que queria criar um novo desenho, com o uso de madeira prensada, e que fosse diferente dos móveis tradicionais, para combinar com a produção arquitetônica da época. Dessa forma, a cadeira de balanço Rio reflete a arquitetura audaciosa de Niemeyer, ultrapassando todos os limites dos materiais – perfeita para compor uma decoração modernista. 

Ricardo Fasanello e a poltrona Anel

Nascido em São Paulo, em 1930, Ricardo Fasanello teve uma carreira curta, porém muito fértil, como designer. Dentre suas marcas registradas no mobiliário, estão a funcionalidade, o uso de ferramentas artesanais na execução do design industrial e a estética brasileira, características-chave para uma decoração modernista.

Além disso, a carreira no mundo mobiliário de Fasanello foi marcada pela busca da perfeição da forma, explorando uma gama de materiais, como aço, fibra de vidro, couro e, especialmente, resina. 

Dois modelos da poltrona Anel. Fonte: Ricardo Fasanello Design

A peça mais emblemática da carreira do designer é a poltrona Anel, com estrutura em resina, fibra de vidro revestida em couro, coluna em base de aço carbono giratório e assento em espuma também revestida de couro. 

Giuseppe Scapinelli

Giuseppe Scapinelli escolheu o Brasil como sua segunda pátria e, em 1950, tornou-se um empresário de sucesso, com a Fábrica de Móveis Giesse, Fábrica de Tapetes Santa Helena, e as lojas Le Rideau e Margutta. 

Na época, o estilo das peças de Giuseppe era facilmente reconhecido, devido ao seu lado conservador. Além disso, os móveis se destacavam pelas curvas suaves, pés palito e delicados detalhes em metal. 

Revisteiro e mesa lateral de Giuseppe Scapinelli. Fonte: CASACOR

A poltrona GS, por exemplo, é uma das peças mais marcantes do italiano, graças às suas linhas sinuosas, às vezes desconcertantes e futuristas. Ela traz traços característicos do modernismo, porém conta com um toque de originalidade. 

Carlo Hauner e Martin Eisler

Martin Eisler e Carlo Hauner foram os principais designers da icônica empresa brasileira de móveis Forma. Com peças que abrangem diversos países, elas são muito procuradas devido às referências ao movimento modernista. 

Poltrona Costela com almofada na sala de estar. Fonte: Decor Viva

Um grande exemplo e símbolo da decoração modernista é a poltrona Costela, criada por Martin Eisler. Ela possui um visual elaborado, é extremamente confortável e tornou-se uma grande aposta para compor os mais variados cômodos: salas de estar, escritórios e até mesmo quartos. 

A Westwing preparou este conteúdo para o QuintoAndar para te ajudar a criar uma decoração modernista com muita sofisticação para a sua sala de estar com peças icônicas de designers. 

Fonte: parceria Westwing