Entre junho de 2019 e fevereiro de 2020, um estudo do QuintoAndar observou uma relação paralela entre os valores de contratos e de anúncios de aluguel em São Paulo e no Rio de Janeiro. Nesse período, os contratos eram fechados, em média, com valores 3,7% mais baixos em comparação com os anúncio. Mas com o início da pandemia de Covid-19, a imobiliária digital registrou um descolamento na relação entre esses valores. A partir de março de 2020, os anúncios seguiram uma tendência de subida ou de estabilidade. Enquanto os valores de contratos fechados passaram a cair bruscamente. 

Em São Paulo, por exemplo, o valor médio dos contratos fechados chegou a ficar 10,8% abaixo da média dos valores dos anúncios. Já no Rio de Janeiro, essa diferença foi ainda maior: – 13,5%.

Estudo do QuintoAndar é inédito

Os dados fazem parte de um estudo inédito lançado pelo QuintoAndar nesta quarta-feira (04/11), sobre a diferença no comportamento dos preços de anúncio e de contratação de aluguéis residenciais em outubro de 2020. 

O estudo foi lançado junto com outra grande novidade: o Índice QuintoAndar de Aluguel, que já a partir deste mês de novembro trará atualizações mensais sobre as variações de preço nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, com base em valores de contratos efetivamente fechados.

“O que observamos no período da pandemia é que a queda nos valores de contratos fechados não foi acompanhada por queda de valores de anúncios. Principalmente para imóveis com menor número de dormitórios. Acreditamos que esse fenômeno possa ser relacionado com um desalinhamento entre as expectativas de retorno dos proprietários e a menor disposição dos inquilinos a pagar no período atual. Um estudo mais aprofundado é necessário para apontar as causas desse fenômeno com maior exatidão”, diz o documento divulgado pelo QuintoAndar

Objetivos do estudo

O objetivo do estudo do QuintoAndar era entender as razões do descolamento entre os dois preços nos últimos meses e explicar como essa relação tem mudado durante a pandemia de Covid-19.

Além disso, o estudo visa ampliar o entendimento de proprietários, inquilinos e especialistas sobre o mercado imobiliário de aluguel. Como uma forma de auxiliar em processos de tomada de decisão, seja pra quem pretende alugar ou investir em imóveis.

“As descobertas deste estudo destacam a importância de um índice baseado em valores reais de contratos fechados, como o Índice QuintoAndar, para entender o comportamento de preços no mercado de aluguel”, concluiu a imobiliária digital. 

Número de quartos

Além da diferença na comparação dos preços dos anúncios em relação aos contratos fechados, o estudo apontou que os imóveis com apenas um dormitório tiveram maior desvalorização nos novos contratos. 

Já os de dois ou mais quartos apresentaram estabilidade e até mesmo aumento nesses valores. 

Segundo a imobiliária digital, isso pode ser um reflexo de mudanças de comportamento dos inquilinos, numa busca por imóveis maiores pra morar durante a pandemia.

Clique aqui e acesse o estudo completo, com direito a gráficos comparativos sobre o comportamento do preços nos anúncios e nos contratos fechados nas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro.