A Caixa Econômica Federal é, no consciente e no inconsciente popular, um banco associado ao financiamento imobiliário. Não por acaso, o banco anunciou um aumento de 9,8% em 2020, em comparação ao ano anterior, na contratação de crédito para essa finalidade. E segue na liderança absoluta do setor no Brasil, com 68,8% de participação no mercado. Por tudo isso, montamos para você um guia sobre o financiamento Caixa para imóvel usado.

Navegue pelo conteúdo:

O que é o financiamento Caixa para imóvel usado?

A Caixa oferece linhas de financiamento imobiliário para diferentes tipos de finalidades, que vão desde a compra de um terreno até a de um imóvel novo, tanto residencial quanto comercial, de acordo com a sua necessidade. Os disponíveis até o momento (2021), são:

  • O financiamento para a aquisição de um móvel novo
  • Aquisição de imóvel usado
  • Aquisição de terreno
  • Construção
  • Empréstimo garantido por imóvel
  • Imóveis Caixa (imóveis usados de propriedade do banco)
  • Reforma e/ou ampliação

Um financiamento é pago por meio de parcelas mensais no prazo escolhido por você, respeitado o prazo máximo estabelecido para a modalidade escolhida.

Como acontece em qualquer financiamento imobiliário, o imóvel adquirido fica alienado ao banco, ou seja, ele se torna uma garantia da operação, até o pagamento de todas as parcelas. 

E após a quitação de todo saldo devedor, ou seja, do valor total do financiamento, a alienação é retirada da matrícula de imóvel. Com isso, o imóvel passa para o seu nome e fica livre de qualquer restrição relativa ao financiamento.

Quem pode fazer um financiamento Caixa para imóvel usado?

É preciso que a pessoa preencha alguns requisitos para poder fazer o financiamento Caixa para imóvel usado. São eles:

  • Ser brasileiro nato ou naturalizado;
  • Se estrangeiro, possuir visto permanente no País; 
  • Não ter restrições de crédito, pois a Caixa consulta os seguintes sistemas:
    • Serasa;
    • SPC;
    • BACEN;
    • Receita Federal.
  • Comprovar capacidade econômico-financeira para pagamento da prestação mensal;
  • Ter capacidade civil ou ser menor emancipado com 16 anos completos (comprovar a emancipação por meio de certidão de casamento, formação em curso superior, exercício efetivo em emprego público, possuir estabelecimento civil ou comercial oriundo de economia própria ou outra forma prevista na lei).

Uso de recursos do FGTS no financiamento

Para usar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) no financiamento Caixa para imóvel usado, é preciso que a compra se enquadre nas regras do Sistema Financeiro da Habitação (SFH).

O SFH é o principal programa de financiamento habitacional do país. Nele, é possível financiar a casa própria no valor de até R$ 1,5 milhão com juros menores que as taxas de mercado em todo o país – máximo de 12% ao ano. E o contratante do crédito imobiliário só pode comprometer 30% de sua renda bruta com as parcelas mensais. 
Saiba tudo sobre como usar os recursos clicando em nossa matéria especial sobre o assunto: FGTS.

Vai comprar uma casa? Te ajudamos a encontrar as melhores taxas de financiamento Buscar

Como fazer o financiamento Caixa para imóvel usado?

Para fazer o financiamento Caixa para imóvel usado, é preciso seguir alguns passos. Veja aqui os principais:

Passo 1: planejamento financeiro

O financiamento de 100% do valor do imóvel não é permitido. Portanto, antes mesmo de pensar em contratar o crédito imobiliário da Caixa, você precisa ter uma reserva financeira para fazer o pagamento da entrada, que pode ser feito com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Se você for funcionário privado, o financiamento do imóvel pode ser de 70% do valor total. Caso você seja servidor público, esse valor pode chegar a 80%.

Em ambos os casos, o prazo máximo de financiamento é de 35 anos (ou 420 meses).

Lembre-se que, além do financiamento, você também terá os seguintes custos extras:

Passo 2: simulação de juros imóvel

Pelo site do banco ou pelo App Habitação CAIXA, você tem acesso a uma ferramenta de simulação do financiamento Caixa para imóvel usado.

Ao fazer essa simulação, você consegue ter uma percepção geral do que o banco oferece como possibilidades e fazer uma estimativa de valores para o financiamento.

Passo 3: documentação e análise de crédito

Você pode contratar o financiamento Caixa para imóvel usado como pessoa física e também como pessoa jurídica. Veja abaixo a documentação necessária nos dois casos para a análise de crédito:

Pessoa Física:

  • RG e CPF (RNE (Caso não seja brasileiro, será necessário apresentar o Registro Nacional de Estrangeiros – RNE);
  • Conta de consumo emitida no máximo há dois meses, para comprovar residência;
  • Comprovantes de renda;
  • Comprovante de estado civil;
  • Extrato atualizado do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, caso vá usar o FGTS para pagamento da entrada.

Pessoa Jurídica:

  • Contrato Social da empresa;
  • Alteração contratual mais recente;
  • Cartão do CNPJ;
  • RG e CPF de todos os representantes legais;
  • Balanço atualizado;
  • Os três últimos extratos bancários da conta de pessoa jurídica;

Passo 4: análise de engenharia

Após analisar toda a sua documentação, a Caixa vai até o imóvel para fazer uma vistoria e avaliar o valor de venda e as condições de uso do bem. É neste momento, também, que o banco faz toda a análise da documentação do imóvel e do vendedor.

Esse etapa pode demorar cerca de 15 dias. E uma vez que esteja tudo certo, você já poderá começar a se preparar para, enfim, fechar o negócio.

Passo 5: assinatura do contrato

Após a avaliação da engenharia, é chegado o momento da assinatura do contrato de financiamento, que tem valor de escritura de imóvel

Esta é a fase em que é necessário fazer o registro de imóvel no cartório, para a liberação do crédito.

Encerrada essa fase, a Caixa libera o valor total do imóvel para o vendedor e você já pode negociar os prazos para a entrega das chaves.

Nova opção de financiamento Caixa

Em fevereiro de 2021, a Caixa anunciou uma nova modalidade de financiamento, corrigida pelo rendimento da poupança, mais uma taxa fixa que varia de 3,35% a 3,99% ao ano – que depende do perfil do cliente – e mais a Taxa Referencial (TR). 

Não entendeu? Te ajudamos a decifrar todo esse universo aqui.

O que é a Taxa Referencial?

A Taxa Referencial foi criada em 1991, em um cenário de hiperinflação, e visava apontar os juros vigentes de forma diária, para a taxa do mês corrente refletisse a inflação do mês anterior. Ou seja, ela servia como correção monetária, para evitar que o brasileiro perdesse seu poder de compra.

A taxa, que está zerada desde setembro de 2017, ainda é utilizada como referência para alguns investimentos e financiamentos. E é calculada diariamente e mensalmente pelo Banco Central, que tem em seu site uma calculadora onde você pode consultar o valor da TR no dia que desejar. 

Como funciona o rendimento da poupança?

A poupança funciona da seguinte forma:

  • Se a taxa básica de juros (Selic), que é definida pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) estiver acima de 8,5% ao ano, a poupança rende 0,5% sobre o valor depositado mais a Taxa Referencial;
  • Caso a Selic fique igual ou abaixo de 8,5% ao ano: a poupança rende 70% da Selic mais a Taxa Referencial.

A Selic fechou 2020 em seu mais baixo patamar histórico: 2%. Aumentou para 2,75% em março de 2021 e depois subiu para 3,5% em maio. 

Portanto, o rendimento da poupança, que é 70% da Selic, ficaria em 2,45% ao ano.

Vantagens e desvantagens da nova modalidade de financiamento da Caixa

A nova modalidade conta com uma taxa fixa (3,35% a 3,99%) abaixo dos valores de mercado, o que é uma vantagem. No entanto, a variável do rendimento da poupança também entra no jogo. O que em épocas Selic alta pode significar um aumento do financiamento, por se tratar de uma taxa flutuante.

Veja abaixo quanto ficaria a taxa final de financiamento para cada tipo de público com a Selic a 2%, que era a taxa básica na época do lançamento do produto:

Setor de atuaçãoPoupança com Selic a 2%Taxa complementarTaxa final
Com relacionamentoFuncionário público1,40%3,35% a 3,75% (varia de acordo com o perfil)4,75% a 5,15%
Com relacionamentoFuncionário privado1,40%3,35% a 3,95% (varia de acordo com o perfil)4,75% a 5,35%
Sem relacionamentoTodos1,40%3,99%5,39%

E agora, um comparativo com a Selic a 3,50%, que foi a taxa divulgada pelo Copom em maio de 2021:

Setor de atuaçãoPoupança com Selic a 3,50%Taxa complementarTaxa final
Com relacionamentoFuncionário público3,68%3,35% a 3,75% (varia de acordo com o perfil)7,03% a 7,43%
Com relacionamentoFuncionário privado 3,68% 3,35% a 3,95% (varia de acordo com o perfil)7,003% a 7,63%
Sem relacionamentoTodos 3,68% 3,99%7,67%

Outras modalidades de financiamento Caixa para imóvel usado

Além da nova modalidade, a Caixa trabalha hoje com outras três opções de financiamento:

  • Financiamento corrigido pela Taxa Referencial (hoje zerada) + taxa fixa a partir de 6,25% ao ano;
  • Correção pelo IPCA + taxa fixa, que parte de 2,95% ao ano;
  • Taxa fixa a partir 8% ao ano.

Nos três casos, as taxas fixas apresentadas são a porcentagem mínima. E podem aumentar de acordo com o relacionamento ou não do cliente com o banco e outros fatores que são avaliados junto aos sistemas de proteção ao crédito.

CET do financiamento

Seja qual for o tipo de financiamento que você vai contratar, é sempre importante ter atenção a uma sigla de três letrinhas: o CET, que significa Custo Efetivo Total. 

O valor de tarifas, encargos e demais taxas adicionadas, junto dos juros do embutidos nas prestações, compõem o Custo Efetivo Total (CET) do financiamento imobiliário.

No caso da nova modalidade do financiamento Caixa para imóvel usado, de 6,25% ao ano, veja como ficariam dois cenários de simulação feitos pela Exame Invest, com imóveis de faixas de preço distintas, para uma pessoa que pretende financiar 80% de um imóvel por 30 anos:

Preço do imóvelValor financiadoCETValor final (soma das parcelas)
R$ 500 milR$ 400 mil6,91%R$ 812.620,08
R$ 125 milR$ 100 mil7,35%R$ 209.905,02

Comprar imóvel pelo QuintoAndar é mais rápido

Imobiliária digital líder em aluguéis residenciais no Brasil, o QuintoAndar entrou mercado de compra e venda de imóveis no início de 2020 e já trabalha com um número de 10 imóveis vendidos por dia. 

No modelo tradicional de compra e venda, a média de tempo pra um comprador pegar as chaves de sua casa própria é de 420 dias. Em outros serviços digitais, esse prazo cai pra cerca de 90 dias. No QuintoAndar, esse tempo médio é ainda menor: 50 dias. 

Simulação do financiamento imobiliário no QuintoAndar

Se o financiamento Caixa para imóvel usado for a melhor opção para você, o QuintoAndar certamente chegará nela. A imobiliária digital faz toda a pesquisa e negociação com as instituições que concedem crédito imobiliário.

E ao comprar um imóvel por financiamento imobiliário pelo QuintoAndar, nossa equipe de especialistas faz a simulações em diversos bancos. E assim garante que você terá acesso sempre às melhores taxas do mercado. Aumentando as chances de aprovação do seu crédito.
Além disso, os responsáveis pela consultoria imobiliária prestada pelo QuintoAndar ao comprador cuidam de toda a parte burocrática da aprovação do financiamento. Você não precisa nem mesmo ir ao banco para assinar o contrato, que é levado à sua casa.

E-book: Guia da compra do primeiro imóvel

Você quer realizar o sonho da casa própria, mas tem dúvidas sobre todos os processos? Preparamos um ebook que te ajuda a descomplicar todos eles. Baixe aqui: Guia da compra do primeiro imóvel

Quer facilidade para comprar um imóvel? Confie na maior imobiliária digital do país! Pesquisar imóvel