Em entrevista recente ao caderno Link, do jornal O Estado de São Paulo, o cofundador e CEO do QuintoAndar, Gabriel Braga, fez uma análise da nova conjuntura trazida pela pandemia de Covid-19. De acordo com o executivo, as forma como as pessoas estão encarando suas casas e o lugar onde moram, assim como as novas rotinas mais voltadas para o trabalho remoto podem significar, inclusive, uma mudança na forma como as cidades se organizam.

“As pessoas estão repensando suas casas. Antes, a maioria das pessoas só passava um tempo dormindo nelas. Agora, as pessoas estão vivendo suas casas. E isso aumenta a reflexão sobre qual estilo de vida você quer ter ou que tipo de moradia vai servir melhor. Tem alguns movimentos de busca óbvios pelo subúrbio ou pelo interior já acontecendo agora. Isso pode intensificar”, previu Gabriel Braga.

Reorganização da sociedade

Dentro desse cenário forçado pelo coronavírus, que muitos têm chamado de “novo normal”, o executivo afirma que o QuintoAndar tem olhado atentamente pra forma como a sociedade vai se reorganizar. E espera ser parte disso, facilitando a vida das pessoas com suas soluções pra aluguel e compra de imóveis.

“Pra nós, isso vai gerar um movimento no mercado e espero que a gente seja uma ferramenta útil para essas pessoas. E estamos atentos: se vermos que algumas cidades estão sendo ímãs de novos moradores nos próximos meses, podemos levar isso em consideração na expansão para mais cidades”, disse o executivo ao Estadão.

QuintoAndar já vive nova realidade

O QuintoAndar, por sinal, é uma das empresas que já entrou de cabeça nessa nova realidade. Desde março, todos os funcionários da imobiliária digital estão trabalhando remotamente. E recentemente foi anunciado que a empresa permanecerá funcionando dessa forma até dezembro, mesmo se a quarentena for flexibilizada ou encerrada pelas autoridades. 

“É um movimento que acontece no mundo inteiro. Sempre cogitamos trabalhar de forma mais remota e flexível, mas era difícil coordenar. Um dos efeitos da crise é que a gente teve o experimento de forma forçada. Tivemos de decidir rapidamente, em março, e em menos de 48 horas 100% da empresa estava trabalhando remotamente. É compreensível que algumas coisas não funcionam bem e a situação não é ideal, mas estamos trabalhando bem atualmente”, contou o executivo ao Estadão.

Além disso, a empresa já prevê que seus colaboradores passem a trabalhar de casa indefinidamente, considerando as peculiaridades de cada time. E isso, de acordo com Gabriel Braga, pode transformar a forma como a empresa funciona e até mesmo contrata novos funcionários.

“Olhando mais para a frente, esperamos que tudo volte ao normal. E aí vislumbramos um sistema parcial. Vamos manter o escritório, porque há benefícios disso, com troca de experiências, resolução de problemas, mas também vamos deixar uma boa parte do time de forma remota, em busca de mais qualidade de vida”, disse Braga. 

Mudanças na forma de recrutamento

Segundo o CEO do QuintoAndar, a nova realidade trazida pela pandemia acaba significando uma nova forma de recrutamento de pessoal, uma vez que abre a possibilidade de se buscar talentos em outras praças.

“Isso pode nos ajudar a acessar um pool de talentos diferente. Chegamos a cogitar a abrir um escritório fora do Brasil porque isso era um problema. Agora, tanto faz se a pessoa está num bairro de São Paulo, no Recife, no Acre ou em outras partes do mundo. Abre muitas portas”, afirmou o executivo. 

Franca recuperação após o início da crise

No começo da crise geral trazida pela pandemia de Covid-19, o impacto foi sentido no QuintoAndar, assim como em todos os setores da sociedade. “Uma freada muito forte”, de acordo com Braga. 

Mas desde meados de março, a retomada tem sido constante, com crescimento semana a semana. 

“A recuperação nas últimas semanas tem sido bastante expressiva. É difícil fazer uma previsão assertiva, mas ao longo do segundo semestre esperamos uma boa recuperação”, finalizou Braga.