As designers Bruna Bastos (à esq.) e Regina Coimbra se mudaram de Belém pra cidade de São Paulo. E na busca por um apartamento pra morar, tinham apenas algumas poucas exigências: queriam estar juntas, em um lugar iluminado, com ambientes que pudessem ser otimizados e próximo do metrô. Como estavam chegando de outro estado e não tinham fiadores na Capital Paulista, recorreram ao QuintoAndar e encontraram o espaço perfeito em um apê de 40m² no bairro da Liberdade, bairro da região central da cidade, conhecido por abrigar uma grande comunidade de imigrantes japoneses.

O processo de mudança e as soluções de decoração encontradas pelo casal no novo lar foram contados pelo blog Histórias de Casa.

“Queríamos uma casa alegre, solar e acolhedora, que remetesse às nossas raízes nortista e nordestina. É importante conseguir se ver no espaço. Quando entramos, olhamos pelo janelão da sala e vimos o sol e a vista livre por vários quarteirões à frente. Ali tivemos a certeza de que tínhamos encontrado o lugar ideal”, contam as designers, sobre o apartamento que encontraram pelo QuintoAndar na Liberdade.

Leia também:
Veja aqui outras Histórias de Casa

Aluguel na Liberdade sem fiador pelo QuintoAndar

A facilidade oferecida pela imobiliária digital de alugar o apartamento na Liberdade sem a necessidade de fiador, seguro-fiança ou depósito caução foi uma grande ajuda pro casal na busca pelo novo lar.

“O QuintoAndar nos facilitou muito a vida, pois eles exigem apenas o comprovante de renda e nos pouparam de outros gastos. Além disso, tem a praticidade de resolver tudo pelo app: desde a busca do imóvel com informações claras e fotos bem feitas, até o fechamento do contrato, vistoria, etc”, contou o casal. 

Hora da decoração

Com o aluguel do imóvel rapidamente resolvido, Bruna e Regina logo deram início à parte que consideram a mais divertida: a decoração da casa nova. 

Regina é designer e pesquisadora, enquanto Bruna é designer têxtil e ilustradora. Com as duas experiências juntas, não faltaram boas ideias para que o novo apartamento ficasse com a cara delas. 

“Trabalhamos com estampas, cores e texturas, e nosso apê reflete isso. Fizemos mudanças nas paredes, transformando algumas delas de forma colorida, seja usando tinta, adesivo, quadros, plantas ou objetos”, contaram as designers.

Detalhes dos ambientes

Na parede da sala, Bruna e Regina trabalharam com uma pintura geométrica, pra deixar o espaço mais vibrante. E também usaram como objetos de decoração algumas obras feitas pelas próprias moradoras, bem como trabalhos de artistas que admiram ou itens trazidos de suas cidades de origem. 

Já na cozinha, elas incrementaram os azulejos já existentes com um mosaico de adesivos. Uma intervenção simples e barata, que mudou a cara do ambiente.

Soluções funcionais pro apê pequeno

O imóvel escolhido na Liberdade tem apenas 40m². O tamanho, no entanto, era suficiente para o casal, que conseguiu driblar a metragem reduzida dividindo os ambientes de forma funcional, confortável e bonita. 

Na sala, Bruna e Regina queriam um ambiente agradável pra receberem as visitas, mas também com espaço pra uma mesa de trabalho em que ambas pudessem usar seus equipamentos, além de também desenhar ou pintar. Por isso, optaram por móveis pequenos, versáteis e adaptáveis, como um sofá sem encosto que vira cama, uma bancada em “L” pro home office, estantes finas e prateleiras, pra um melhor aproveitamento do espaço aéreo.

Apenas peças essenciais

Além disso, o casal adotou como regra evitar os excessos e ter somente o que faz sentido, como peças de estimação e que contribuem para uma sensação acolhedora do lar, como o tapete de barbante feito pela mãe de Regina. 

“(O tapete) É uma réplica de uma toalha de mesa feita por sua avó e retrata a tradição manual da família, assim como a compreensão da ancestralidade e como ela se reflete em nós”, disse Bruna.

De acordo com as designers, o importante na mudança para o novo lar foi o sentimento de liberdade para a ocupação das paredes e para a reinvenção dos espaços com cores, quadros e prateleiras. 

“O que faz da nossa casa um lar? É onde nos reconhecemos, com nossas memórias e histórias, onde planejamos nosso futuro, nos fortalecemos e recarregamos as energias. Parafraseando o poeta paraense, Max Martins: é o lugar de ter de onde se ir”, concluiu o casal.