Quem busca por moradias em regiões com índices reais de qualidade de vida pode pesquisar sobre morar em Curitiba com tranquilidade. Isso porque a Capital Paranaense desponta nas classificações quanto à mobilidade urbana, sustentabilidade, saúde, educação e segurança, alguns dos principais requisitos levados em consideração quando o assunto é mudança.

Atualmente, Curitiba é a capital brasileira que lidera o ranking do Índice de Desafios da Gestão Municipal (IDGM 2021), feito pela consultoria MacroPlan. O primeiro lugar dentre os mais de 100 municípios revela que a cidade pontua os melhores indicadores nos segmentos que acabamos de listar. Agora, que tal vermos a seguir se eles podem se tornar motivos para cogitar morar em Curitiba?

Navegue pelo conteúdo:

Qualidade de vida em Curitiba

Aparecendo ainda na 10ª posição no ranking de cidades com maior IDH do Brasil (0,823), segundo dados do IBGE, Curitiba está também entre os cinco principais municípios que impulsionam o Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Pode-se dizer que o dado é ainda um reflexo da economia do próprio estado, que ultimamente vem dando sinais de uma forte recuperação nos impactos causados pela pandemia da Covid-19.

O crescimento consecutivo do PIB paranaense nos últimos três trimestres foi puxado pelos setores de Indústria e Serviços que, apesar do cenário restritivo, contou com expansões no comércio e atividades financeiras.

Todo mundo encontra seu lar no QuintoAndar
Todo mundo encontra seu lar no QuintoAndar Conheça aqui

Trabalhar em Curitiba

Apesar da desaceleração econômica causada pela pandemia, dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) também apontam que, atualmente, Curitiba tem o segundo maior saldo de vagas com carteira assinada. Atrás apenas de São Paulo, a Capital Paranaense segue recuperando postos de trabalho com foco em áreas como agropecuária, comércio, indústria, construção e serviços.

Sustentabilidade em Curitiba

Se o contexto de pandemia e mudanças climáticas cada vez mais frequentes reforçaram a necessidade do desenvolvimento pela via mais sustentável possível, Curitiba novamente se apresenta como a capital referência no assunto.

No cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, segundo o Índice de Desenvolvimento Sustentável das Cidades – Brasil (IDSC-BR), Curitiba é a capital brasileira com a melhor classificação. O trabalho é desenvolvido pelo Programa Cidades Sustentáveis (PCS), em parceria com a Sustainable Development Solutions Network (SDSN), uma iniciativa da ONU para monitorar os ODS em seus países-membros.

No contexto geral, considerando municípios de todos os portes populacionais, Curitiba ficou classificada em 30º lugar entre 770 cidades brasileiras, sendo, até essa posição, a única capital e a única cidade com população acima de 500 mil habitantes.

Alguns destaques na classificação curitibana ficam por conta dos objetivos que vem atingindo como parte da meta definida para os ODS:

  • Energia limpa e acessível;
  • Indústria, inovação e infraestrutura;
  • Consumo e produção sustentáveis;
  • Ação contra a mudança global do clima;
  • Vida na água.

Outro relatório que destaca a cidade, desta vez como a mais verde da América Latina, é o Green City Index (Índice Verde de Cidades), realizado pela Siemens em 2010 e em parceria com a Economist Intelligence Unit, serviço de pesquisa da revista inglesa The Economist.

Mobilidade em Curitiba

(Foto: Shutterstock)

Um dos pontos avaliados no relatório Green City da Siemens é justamente a mobilidade urbana de Curitiba. O documento destaca “sua longa história de assumir uma abordagem holística para o meio ambiente”.

Isso porque, desde a década de 1974, a capital se tornou referência mundial em mobilidade urbana quando passou a utilizar a conversão de ruas em eixos de transporte por meio do esquema de ônibus de trânsito rápido (Bus Rapid Transit, o BRT).

O modelo, que é copiado em mais de 170 cidades em todos os continentes, incorpora linhas interbairros, expressos (ligeirinhos) e ônibus convencionais, ligando a cidade de norte a sul. 

Lazer e cultura em Curitiba

Se planejamento urbano e desenvolvimento sustentável são alguns dos critérios para cogitar morar em Curitiba, as diversas opções de lazer e cultura também atraem moradores de todos os estilos, em especial os que buscam por atividades ao ar livre. Afinal, a capital possui dezenas de parques e bosques, além de diversas praças e jardins menores. Ao todo são:

  • 27 parques
  • 16 bosques
  • 1 jardim botânico
  • 8 Bosques de Conservação da Biodiversidade Urbana (BCBU)
  • 33 Reservas Particulares do Patrimônio Natural Municipal (RPPNM)
  • 1.127 praças, jardinetes/eixos, largos e jardins ambientais
  • 2 Áreas de Proteção Ambiental (APA)
  • 1 Refúgio de Vida Silvestre e 2 Estações Ecológicas. 

Isso porque Curitiba está localizada em uma área de Mata Atlântica que conta com 58 m² de maciços florestais por habitante, número quase quatro vezes superior aos 15 m² preconizados pela Sociedade Brasileira de Arborização Urbana (SBAU).

Dentre algumas opções de lazer, vale destacar:

Jardim Botânico

Jardim Botânico (Foto: Shutterstock)

Localizado em uma área total de 278 mil m², o Jardim Botânico de Curitiba possui uma vasta área de conservação de Mata Atlântica que contempla espécies e exemplares magníficos de fauna e flora, como lindas aves e árvores magníficas. Criado em 1991, é nele que fica a famosa estufa de vidro de 458 m², principal cartão postal de Curitiba. Construída em estilo Art nouveau, foi inspirada no Palácio de Cristal de Londres, do século XIX.

Ainda no Jardim Botânico, é possível ter acesso a outro ponto cultural, a Galeria das Quatro Estações. O espaço possui 1.625 m² de área coberta por placas módulos fotovoltaicos, sendo 679 m² com teto em policarbonato transparente e fechado. O restante é composto por uma área semi coberta, com bancos, vasos e jardins canteiros, que representam as quatro estações do ano, com cores e texturas de cada estação, identificadas por quatro esculturas clássicas em mármore branco.

Parque Barigui

(Foto: Shutterstock)

Localizado em um dos bairros nobres de Curitiba, no Bigorrilho, o parque é um dos mais procurados pelos moradores da cidade. Cortado pelo rio Barigui, tem mais de 1,4 milhão m² de atrações ao ar livre. Entre elas um lago onde é possível avistar com frequência famílias de capivaras às margens, mas que também é casa de um jacaré de papo amarelo.

Parque Tingui

(Foto: Shutterstock)

Chamado Tingui em homenagem aos povos originários indígenas que anteriormente habitavam a região, o parque possui 380 mil m² e é um dos lugares preferidos de quem sempre morou ou escolheu morar em Curitiba. Repleto de áreas verdes, está localizado entre os bairros São João e Cascatinha. O parque é sede também do Memorial Ucraniano, uma homenagem aos imigrantes que chegaram à cidade no final do século XIX, além de possuir uma loja de artesanato no entorno.

Parque Tanguá

(Foto: Shutterstock)

Um dos mais belos da cidade, conta com 235 mil m² de área verde, situado entre os bairros Pilarzinho e Taboão. Com um mirante localizado numa pedreira a 65 metros de altura, é possível observar o pôr do sol de uma das vistas mais bonitas da cidade. O parque conta ainda com pista de caminhada, ciclovia e o Jardim Poty Lazzarotto.

Já para aproveitar as tardes ensolaradas, e por que não também um clima mais ameno, Curitiba conta com espaços culturais arrebatadores. Listamos aqui alguns:

Museu Oscar Niemeyer (MON)

(Foto: Governo do Paraná)

Localizado no Centro Cívico, o MON é um dos pontos mais célebres da Capital Paranaense, e reserva um dos espaços mais especiais de arte contemporânea do país. Inaugurado em 2002, o museu também é conhecido como o Museu do Olho pelo seu formato arquitetônico.

Arena da Baixada

(Foto: Shutterstock)

Além de ser palco de jogos de futebol, o estádio do Athletico Paranaense também recebe shows, eventos e outras competições de porte internacional. 

Museu do Holocausto

Localizado no Centro Cívico, o Museu do Holocausto é um espaço especial em memória às vítimas e imigrantes refugiados que recorreram ao Brasil como um novo país para recomeçar suas vidas. Além da homenagem, o intuito do museu é reforçar para que as novas gerações estejam em alerta sobre os perigos do ódio, da intolerância e do racismo.

Centro Cultural Teatro Guaíra

O Centro Cultural Teatro Guaíra conta com auditórios para teatro, dança e espetáculos musicais, sendo mantido pelo governo do estado do Paraná. Um dos maiores da América Latina, o complexo arquitetônico está localizado na Praça Santos Andrade, no Centro de Curitiba. 

A Orquestra Sinfônica do Paraná, a companhia de dança Balé Teatro Guaíra e o Teatro de Comédia do Paraná (TCP) são algumas das instituições mantidas pelo Centro Cultural Teatro Guaíra. Alguns dos auditórios mantidos pelo Centro Cultural Teatro Guaíra são:

  • Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto, o “Guairão”: O maior do Teatro Guaíra, com capacidade para um público de mais de 2.000 pessoas;
  • Auditório Salvador de Ferrante, o “Guairinha”: De capacidade média, conta com espaço para cerca de 500 pessoas;
  • Auditório Glauco Flores de Sá Brito, o “Miniauditório”: O menor auditório tem espaço com capacidade para 104 pessoas;
  • Teatro José Maria Santos: Teatro com 177 lugares mas que não faz parte do complexo da Praça Santos Andrade, apesar de ser administrado pelo Centro Cultural Teatro Guaíra. O Teatro José Maria Santos fica localizado na Rua Treze de Maio, em uma construção tombada e de muita relevância cultural para a cidade.

Restaurantes e casas noturnas em Curitiba

Morar em Curitiba também significa ter um portal de encontro para todos os gostos e sabores. Apesar da culinária curitibana ter suas influências regionais, também conta com referências internacionais. Só na capital, é possível degustar de pratos tradicionais e contemporâneos que mesclam receitas de outros países com a culinária brasileira.

Mas é ainda nessa viagem de paladares que os passeios à noite também se transformam. Por isso, listamos aqui alguns estabelecimentos que valem uma degustação ou, quem sabe, aquela freguesia fixa que só um bom morador local tem. Anote aí:

  • Sheridan’s Irish Pub: Como manda a tradição irlandesa, o pub aconchegante conta com comida típica e – claro – cerveja, além de sofás e música ao vivo;
  • Taco El Pancho: Com um ambiente mexicano familiar, o restaurante possui área infantil, paredes coloridas, iluminação descontraída e típica música tradicional;
  • Baggio Pizzaria e Focacceria: Típica cantina italiana com clima aconchegante, o espaço conta com duas áreas de refeições, sendo uma em um conservatório que serve comida italiana e vinhos;
  • Gianttura Osteria e Emporio: Sob o comando do chef Hermes Custodio, o restaurante combina sabores do clássico europeu ao contemporâneo mediterrâneo e brasileiro;
  • Lina – Bistrô de Experiências: O restaurante recebe diferentes chefs que se revezam apresentando cardápios autorais e indicam uma instituição por mês para receber 10% do valor dos pratos vendidos;
  • Osteria Donna Lena: É com o tempero da nona Donna Lena, avó da chef Camila Ditzel, que o restaurante serve pratos italianos deliciosos em um ambiente descontraído;
  • Bobardí: O restaurante sofisticado é comandado pelo chef Dyogo Prado, que oferece uma experiência gastronômica internacional com releituras de pratos clássicos;
  • The Blackbird Pub: Pub musical aconchegante repleto de temas de épocas e modas diversas, com shows de rock alternativo e cover;
  • Tierra Del Fuego: Oferece carnes assadas em grelhas argentinas, além de massas, sobremesas e vinhos, em espaço tranquilo e aconchegante;
  • Choripan: Gastrobar com charcutaria própria inspirado em Caminito de Buenos Aires, cordéis brasileiros, filetes portenhos e na arte de mestres como Miró. O carro-chefe da casa é o sanduíche latino que leva o nome, Choripan.

Praias exuberantes perto de Curitiba

Apesar de Curitiba não ter praias, o estado do Paraná possui um litoral de beleza exuberante, com mais de 50 ilhas, 125 praias e balneários. E um dos lugares que merece destaque é a Ilha do Mel

Ilha do Mel (Foto: Shuterstock)

Um dos pontos turísticos mais procurados do estado paranaense, a Ilha do Mel está situada na embocadura da Baía de Paranaguá e é uma das áreas de preservação administradas pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

A apenas 120 km da capital, é possível optar por diferentes – e belas – rotas até chegar à Paranaguá ou Pontal do Sul, que são os locais de embarque e travessia para a Ilha do Mel. Os horários de acesso à Ilha são entre 8h e 20h.

  • Embarque Pontal do Sul: Distância: 5 Km / Tempo da travessia: 15 min.
  • Embarque Paranaguá: Distância: 22 Km / Tempo da travessia: 50 min.

Com 25 quilômetros de belas praias, desertas ou com pouca urbanização, a população da Ilha se distribui entre algumas pequenas vilas: Encantadas, Nova Brasília, Farol, Praia Grande e Fortaleza.

Para preservar e evitar a degradação da área, veículos automotores e de tração animal não são permitidos, ficando o acesso pela Ilha apenas por trilhas de terra ou por barcos. Além disso, é importante estar atento ao número de visitantes, que por se tratar de uma área de preservação fica restrito a 5.000 pessoas por dia.

Como grande parte de seu território se constitui de área de preservação, não é permitido o acesso. Os pontos turísticos abertos à visitação pública de maior destaque na Ilha do Mel são:

  • Gruta das Encantadas
  • Farol das Conchas
  • Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres

Encontre imóveis para morar em Curitiba pelo QuintoAndar

Agora que vimos alguns pontos mais conhecidos, já sabe com qual bairro você se identifica? Líder do mercado de aluguel residencial no Brasil, o QuintoAndar tem muitas ofertas de imóveis para locação em toda a cidade, inclusive nos bairros nobres de Curitiba. 

A imobiliária digital, que em maio de 2021 se consolidou como a maior proptech da América Latina, com valor de mercado de US$ 5 bilhões, está presente em mais de 40 cidades pelo Brasil.

Ao buscar imóveis para morar em Curitiba da forma mais rápida e prática possível, você pode usar os mais de 60 filtros oferecidos pelo QuintoAndar em sua pesquisa.