Uma mudança de endereço não é uma mudança qualquer. Além das questões práticas, tem todo o lado da adaptação da família. Mas como trabalhar isso quando é uma mudança com crianças?

Trocamos umas ideias com a psicóloga infantil Daniella Freixo de Faria. Ela tem 92 mil inscritos e mais de 4,2 milhões visualizações de seus vídeos no canal “Conversa com Criança”, no Youtube. Com conselhos pros pais, Daniella nos ajuda a entender um pouco sobre como os pequenos lidam com essas mudanças.

Confira o papo sobre mudança com crianças

• O que representa a mudança pra vida em família?

Um processo de mudança é uma linda caminhada familiar. Uma oportunidade de reencontro único. O importante é viver um dia de cada vez. E perceber que ontem eu sabia menos do que hoje. E que a cada dia descobrimos mais coisas novas sobre o lugar, os hábitos, costumes e culturas. E isso nos dá a oportunidade de descobrirmos também sobre nós mesmos.

• Como contar pras crianças que a família vai sair da casa que ela adora? Quais pontos reforçar e quais evitar, pra que não haja qualquer tipo de trauma?

Mudamos o tempo todo, mas adoramos permanecer. Quando trazemos para as crianças esse movimento da vida, podemos transmitir tanto a alegria e a curiosidade frente à novidade, quanto a tristeza da despedida e o medo frente ao novo.

Um dos grandes pontos que costumam gerar tensão é quando insistimos apenas na parte alegre. Numa situação nova e numa despedida, todos os sentimentos e sensações farão parte do processo.

Quando nos acolhemos enquanto adultos, precisamos deixar de focar na ideia de como tudo deveria ser. Em vez disso, podemos exercitar a compaixão e o lugar de aprendiz. Primeiro em nós, para depois, ou junto, vivermos isso com as crianças. O aprendizado dessa grande experiência é extraordinário com tudo que nela se apresenta.  

• Uma mudança com crianças pra um lugar mais distante, na maioria das vezes, implica em uma escola nova. E nesses casos, além de estar sendo separada da única casa que conhecia, a criança deixará pra trás os primeiros amigos que fez na vida. Como os pais devem acompanhar a adaptação no novo local?

No início, não apenas as crianças que estão em adaptação. Toda a família está. O acolhimento e o compartilhamento de desafios e aprendizados do dia a dia vão trazer uma noção de time para a família. E o grande ganho é o senso de união que vem desse processo.

O importante é que a família esteja junta, aprendendo todos os dias. Assim, saímos do lugar comum de que os pais sabem tudo e as crianças aprendem com os adultos. Nessa experiência de vida, todos estão aprendendo ao mesmo tempo. E isso é um presente.

• Que aspectos do comportamento das crianças após uma mudança os pais devem ter mais atenção, caso elas não estejam se adaptando bem ao novo lugar?

Quando não há espaço para os sentimentos na família, as crianças normalmente costumam colocar esse sentimento para fora. Normalmente, o que a criança expressa é a mesma coisa que todos estão sentindo. O que acontece é que ela expressa mais livremente.

Nessa dificuldade de adaptação o primeiro ponto é verificar como nós, adultos, estamos lidando com processo que atinge a todos. É preciso entender que todos estamos no mesmo barco. E saber se estamos nos acolhendo, como família, ou apenas exigindo felicidade sem deixar espaço para todos os outros sentimentos que aparecem.

Mudança de escola

Daniella tem um vídeo em seu canal no Youtube especificamente sobre a mudança de escola. Nele, a psicóloga destaca três pontos importantes na adaptação das crianças ao novo ambiente. Veja quais são:

1. Pais e professores

É importante que eles façam um vínculo. Isso vai deixar os pais mais tranquilos. E vai fazer com que a criança sinta esse apoio na escola. Esse vínculo é urgente, pra que a criança perceba que tem dentro da sala de aula uma pessoa que vai apoiá-la em tudo o que ela precisar.

2. Novas amizades

Outro ponto importante é ajudar a criança a estabelecer novas amizades e novos vínculos. E aqui, novamente, os pais e os professores têm papel fundamental. É preciso incentivar, falar o quanto é importante a criança chegar junto das crianças novas, pedir para participar das brincadeiras.

E na hora em que esse vínculo estiver começando a acontecer, quando a criança chegar em casa falando o nome de algum amiguinho, dizendo que gostou de brincar com ele, é hora de a gente começar a investir num convite para essa criança vir em casa, por exemplo. Conhecer a família do amiguinho, buscar um encontro fora da escola.

Você não precisa convidar todas as crianças da escola para a sua casa. Mas pode focar naquelas duas ou três que seu filho mais fala a respeito.

3. Os pais dos coleguinhas

O terceiro ponto que pode ser de grande ajuda para crianças que estão se adaptando vem de outras famílias. Os pais das criança que já estão na escola também podem ajudar. Basta que eles incentivem seus filhos a acolher a criança que está chegando.

Sobre Daniella Freixo de Faria

Formada e especializada em psicologia analítica pela PUC, Daniella tem especialização na Escola Dinâmica Energética do Psiquismo (DEP). Em 2014, ela colocou no papel a experiência trocada entre pacientes e os milhares de fãs nas redes sociais, com o livro “Conversa com criança: Presença – Caminho”.

E você, já fez alguma mudança com crianças? Ou está passando por esse processo agora?