São inúmeros os desafios de uma metrópole com mais de um milhão de habitantes, mas Campinas se destaca em um deles: na atuação da preservação das áreas verdes. Dezenas de espaços ao ar livre revelam a tranquilidade de conviver de diversas formas com a natureza no maior município do interior de São Paulo. Por isso, que tal conhecer alguns dos principais parques em Campinas?

E além de parques de características variadas, que podem conter desde bosques a espaços para prática de esportes, a cidade de Campinas tem outros espaços, como belas praças, também, que oferecem a seus moradores uma excelente qualidade de vida ao ar livre. 

Navegue pelo conteúdo:

Preservação de área verde

Campinas registra atualmente uma área verde que supera os 10 mil hectares, ou 14,4% de seu território. 

Com um plano que prevê ações de recuperação e preservação, e que também interligam outros municípios da Região Metropolitana de Campinas (RMC), a cidade oferece variedade quando o assunto é lazer ao ar livre. 

Planejamento inteligente e sustentável

Com alguns dos melhores índices de qualidade de vida, Campinas é considerada atualmente uma das melhores cidades do interior para morar. Inteligente, a cidade vem se destacando pelo incentivo de práticas sustentáveis, especialmente pela implementação do Programa Cidades Sustentáveis (PCS) desde 2012.

A iniciativa do Instituto Cidades Sustentáveis é feita em parceria com o Sustainable Development Solutions Network (SDSN), uma iniciativa da ONU para monitorar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em seus países-membros. 

De olho na Agenda 2030, uma agenda mundial apresentada em 2015 pela ONU aos países-membros, o foco é atingir metas, prazos e compromissos voltados ao desenvolvimento sustentável e ao enfrentamento dos principais problemas globais.

Este ano, a Prefeitura de Campinas chegou a receber o aval para utilizar o selo “Cidade Signatária do PCS”. Recentemente, a cidade celebrou a Virada Sustentável, evento cultural com apoio digital e parte do pacto de educação socioambiental. Além dos painéis, a Virada contou com shows e atrações célebres, como Gal Costa e Zeca Baleiro.

Todo mundo encontra seu lar no QuintoAndar
Todo mundo encontra seu lar no QuintoAndar Conheça aqui

Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim

Situado na Região Leste de Campinas, na Vila Brandina, a área do parque pertencia à antiga fazenda Mato Dentro e, atualmente, é a maior área de lazer da cidade. O Parque Ecológico foi criado em 1987, com o propósito de preservar e recuperar valores arquitetônicos e paisagísticos do projeto de Roberto Burle Marx.

Com 110 hectares, a implantação do parque visou a recuperação de uma área de 2 milhões de m2, sendo 1,1 milhão aberta ao público. São diversas espécies da flora brasileira, nativas da região da bacia do rio Piracicaba e alguns exemplares exóticos.

O parque abriga ainda exemplares tombados e restaurados da arquitetura campineira do século XIX. Entre eles estão o Casarão, a tulha e a capela da antiga Fazenda Mato Dentro, que integram um Museu Histórico Ambiental, atuando ainda no desenvolvimento de diversos programas de educação ambiental. Algumas áreas de lazer do parque são:

  • Quadras poliesportivas;
  • Campos de futebol society;
  • Quadra de bocha e malha;
  • Trilhas para caminhadas;
  • Pista de cooper;
  • Playground;
  • Áreas para piquenique;
  • Anfiteatro.

Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim (Foto: Shutterstock)

Praça Ulisses Guimarães ou Pedreira do Chapadão

Conhecida também como antiga Pedreira do Chapadão, localizada no bairro homônimo, a Praça Ulisses Guimarães possui cerca de 130 mil m2 de áreas de lazer para diversas atividades. De uma beleza única, o espaço tem paredões de pedras remanescentes de uma antiga pedreira, espelho d’água com cascata, canteiros e plantas que proporcionam um visual de tirar o fôlego. Além de apreciar a paisagem, veja o que você pode aproveitar na Pedreira do Chapadão:

  • Pista de cooper;
  • Pista de ciclismo;
  • Pista de skate;
  • Quadras poliesportivas;
  • Espaço para shows;
  • Academia;
  • Quiosques;
  • Playgrounds;
  • Memorial Ulisses Guimarães.

Na região, a alguns metros da Pedreira, é possível aproveitar ainda a proximidade de dois bosques praticamente integrados, o dos Italianos (atual Praça Samuel Wainer) e o dos Alemães (Praça Doutor João Lech Júnior), sendo este último situado no bairro Jardim Guanabara. Ambos contam com características semelhantes, além de oferecerem áreas de lazer para todas as idades.

Pedreira do Chapadão (Foto: Shutterstock)

Parque do Taquaral

Um dos espaços mais tradicionais de lazer ao ar livre em Campinas é também onde se encontram o Parque Portugal e a popular Lagoa do Taquaral, atual Lagoa Isaura Telles Alves de Lima. Antes da aquisição da prefeitura durante os anos de 1970, o local pertenceu à histórica Fazenda Taquaral de Barreto Leme, um dos fundadores da cidade, e à família Alves de Lima.

Paisagem turística simbólica no bairro, o parque conta com uma réplica exata da Caravela Anunciação, embarcação de Pedro Álvares Cabral quando chegou ao Brasil. Além de oferecer uma área de 165 mil m2 com natureza em abundância e áreas sombreadas perfeitas para piqueniques, o parque possui áreas de lazer que costumam ser disputadas aos finais de semana.

Inclusive, os pets podem aproveitar para interagir em um espaço de 3 mil m2, com capacidade para até 50 animais. Mas o destaque no entorno do parque fica por conta dos equipamentos culturais e esportivos:

  • Balneário Municipal (3 três piscinas abertas ao público);
  • Centro de Vivência dos Idosos (antigo Ginásio de Bocha); 
  • Ciclovia de aproximadamente 5 km;
  • Concha Acústica – Auditório Beethoven (capacidade para 2 mil pessoas);
  • Dezenas de quadras poliesportivas;
  • Esplanada das Bandeiras (destinada a eventos cívicos);
  • Ginásio de Esportes “Alberto Jordano Ribeiro” (quadra de vôlei e basquete);
  • Kartódromo “Afrânio Ferreira Jr.” (pista de 800m adaptadas às exigências da Federação Paulista de Automobilismo);
  • Museu Dinâmico de Ciência;
  • Pista de aeromodelismo;
  • Pista de cooper com extensão de 2.800 m;
  • Pista de patinação (também usada para aulas gratuitas de ginástica);
  • Planetário;
  • Relógio solar.

Parque do Taquaral (Foto: Shutterstock)

Fazenda Santa Elisa

Considerada uma das maiores áreas verdes de Campinas, a Fazenda Santa Elisa tem 692 hectares e 14 km de divisas, ocupando uma área junto à Rodovia Zeferino Vaz. Dona de uma rara beleza, a região é composta por diversas espécies de árvores, com exemplares de jequitibás branco e vermelho (alguns que datam mais de 100 anos), perobas, canelas, guaritás, jacacatiás, cássias, entre diversas outras.

Além delas, a área abriga dezenas de espécies de aves e de mamíferos, assim como nascentes d’água que formam ainda um riacho que corta a mata. Por estas e outras razões, a Fazenda Santa Elisa foi tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas. 

Mas o espaço abriga ainda o Instituto Agronômico (IAC), que fornece informações fundamentais à agricultura e à recuperação de áreas degradadas. O IAC é responsável por produzir a semente genética exatamente com as mesmas qualidades obtidas nas pesquisas de melhoramento de cada cultura.

Desta forma, é na Unidade Básica de Sementes que nascem as sementes das diversas culturas cultivadas nas lavouras pelo país. Sementes como arroz, feijão, trigo, milho, milho-pipoca, triticale, aveia, amendoim, e tantas outras são transferidas em seguida aos setores de produção. 

Bosque dos Jequitibás

Próximo da Região Central e também uma das maiores e mais antigas áreas de lazer de Campinas, o Bosque dos Jequitibás costuma receber aproximadamente 1 milhão de pessoas por ano. São cerca de 10 hectares de extensão de reserva florestal, com pelo menos 2 hectares de áreas nativas da Mata Atlântica, onde é possível encontrar ainda um zoológico com centenas de espécimes de aves, répteis e mamíferos.

Inaugurado nos anos de 1880, o Bosque dos Jequitibás é fruto de um projeto do renomado arquiteto Ramos de Azevedo, que desenhou o parque em um conceito de “jardim inglês”. Com uma área de lazer que respira cultura e amparada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arquitetônico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo, além de espaço para atividades ao ar livre, algumas de suas atrações são:

  • Casa do Caboclo;
  • Teatro Carlos Maia;
  • Museu de História Natural;
  • Aquário Municipal.

Parque Ecológico da Cidade Universitária

Foi inaugurado ainda nos anos de 1990, em uma área de 135 mil m2, e está situado no distrito de Barão Geraldo, entre a Unicamp e a Cidade Universitária. Seu nome é uma homenagem ao professor de Biologia e reitor de pós-graduação da Unicamp, defensor da preservação ambiental.

O espaço conta com uma lagoa, pista para corridas e caminhadas, bancos para descanso, quiosques com churrasqueiras, mesas e cadeiras, playground e equipamentos para ginástica.

Boa parte de suas pistas sombreadas são situadas em meio a florestas com espécies nativas, muito tranquilas e agradáveis. No entorno, é possível conhecer ainda o Espaço Cultural Casa do Lago mantido pela Unicamp, ótimo para palestras, espetáculos e eventos artísticos em geral.

Mata de Santa Genebra

A Unidade de Conservação Federal da Mata de Santa Genebra, que também está situada no distrito de Barão Geraldo, é conhecida como a maior floresta urbana de Campinas e uma das maiores do país. E por isso é considerado um dos principais parques em Campinas.

Com mais de 250 mil hectares de preservação ambiental em cerca de 9 km, a área, que é administrada pela autarquia municipal Fundação José Pedro de Oliveira (FJPO), possui fauna e flora nativas de Mata Atlântica e Cerrado. No entanto, para visitar é necessário fazer o agendamento prévio, que também pode contar com um roteiro guiado pela administração da mata.

No passado, a região situava a Fazenda Santa Genebra, de propriedade de Geraldo Ribeiro de Sousa Resende (o Barão de Geraldo de Resende), mas também se destaca por estar inserida no Projeto Corredor das Onças, já que eventualmente registra a presença de onças, suçuaranas e jaguatiricas.

Uma das principais atrações ao público neste recanto natural fica por conta do Borboletário, complexo que abriga dezenas de espécies em uma área de 3 mil m2, e que se divide em três espaços: Casa de Criação, Jardim e Viveiro de Borboletas e Mudas. Nele, são feitas a alimentação das lagartas, permitindo a criação e monitoramento das mais de 600 espécies existentes no local.

Na Unidade de Conservação também costumam ser realizadas diversas atividades voltadas para a população com foco na preservação socioambiental, além da recuperação de áreas degradadas.

Serra das Cabras

Localizado a cerca de 30 km de distância do Centro de Campinas, em um dos pontos mais altos da cidade, com 1.080 m de altitude, está a Serra das Cabras, uma Área de Proteção Ambiental (APA) entre os distritos de Sousas, Morungaba e Joaquim Egídio. É na região que ficam duas bacias hidrográficas importantes para o abastecimento e a geração de energia do município: a do Rio Atibaia e do Rio Jaguari.

Com acesso por uma linda estrada de terra é possível conhecer o Parque Linear de Ribeirão das Cabras, responsável pela gestão do plano de recuperação da mata ciliar do local. Também conhecido como Caminho do Bonde, a trilha recupera o percurso da Cabrita, nome dado à Maria-Fumaça do antigo Ramal Férreo Campineiro, que mais tarde virou bonde.

O parque conta com uma graciosa infraestrutura de lazer para crianças e adultos. Em sua extensão de 8 km, o trajeto é relativamente plano e permite o acesso às antigas instalações da ferrovia, como a Ponte Metálica sobre o Rio Atibaia. Considerada leve para os caminhantes, é indicada à família que gosta de fazer atividades físicas ao ar livre, como caminhar, pedalar ou cavalgar. Os núcleos urbanos integram dois distritos e está dividida em três trechos principais: 

  • Entrada de Sousas até a ponte metálica; 
  • Ponte metálica até a entrada de Joaquim Egídio; 
  • Joaquim Egídio até a Estação Ambiental, no próprio distrito, área em que são proibidas a entrada e circulação de veículos.

Na região, foram replantadas 50 mil mudas de árvores, entre elas jequitibá, ingá, ipê-roxo e jatobá. O parque ainda conta com o monitoramento de mais de 120 espécies de aves. Mas é também com um dos visuais mais lindos da região da Serra das Cabras, próximo ao Monte Urânia, que é possível contemplar a beleza natural da cidade – e também do céu que revela os astros que nos cercam.

Isso porque na região, além de área de preservação ambiental, está presente o Parque do Pico das Cabras, que é também um moderno complexo de astronomia, com o Observatório Municipal Jean Nicolini, inaugurado em 1977, e o Museu Aberto de Astronomia. Além de fazer trilhas e participar de observações, é possível conferir diversas atrações oferecidas no parque, como exposições, espetáculos, shows e aulas de astronomia.

O acervo do parque conta também com peças originais do cinema, música, tecnologia e dos esportes, além de guitarras autografadas pelos Beatles, escudo do Capitão América autografado pelos atores do filme, pedaço da nave “Apollo 11” que levou o homem à Lua em 1969, entre outros itens. Os passeios contemplam todas as idades e os ingressos podem variar conforme as atrações.

Campinas é o berço do QuintoAndar

Maior imobiliária digital da América Latina, o QuintoAndar foi fundado em 2013 justamente na cidade de Campinas. De lá para cá, a proptech cresceu para se tornar líder no mercado imobiliário tanto no segmento de aluguel quanto no de compra e venda de imóveis.

Se você deseja morar na cidade e aproveitar os parques de Campinas, que tal buscar imóveis para alugar ou comprar pelo QuintoAndar?