O QuintoAndar fez uma parceria com o instituto Offerwise para identificar como a pandemia de Covid-19 afetou a relação dos brasileiros com suas casas. E de acordo com as informações levantadas, o impacto foi muito representativo. Segundo o estudo, mais de 73% dos brasileiros passaram a ver seus lares de forma diferente por causa da pandemia, sendo que 16,5% acabaram decidindo se mudar, mesmo durante com a crise ainda em curso.

Distanciamento social e atividades remotas

Os principais vetores para essa mudança, de acordo com o levantamento, foram o distanciamento social, em especial a necessidade da adoção do trabalho e da escola remotos. E características antes menos relevantes passaram a ser mais valorizadas pelas pessoas.

+ Leia também
“Viramos uma fonte de tranquilidade em meio ao caos”, diz CEO do QuintoAndar

“A pandemia acelerou a mudança na relação das pessoas com suas casas, mas também alterou a direção dessa mudança. Economia e espaço ganharam importância enquanto proximidade com o trabalho e áreas de comércio perderam um pouco de relevância”, diz José Osse, Head de comunicação do QuintoAndar. “A pesquisa mostra que essa tendência deve se manter, pelo menos por algum tempo, impactando o tipo de imóvel e as características mais valorizadas por quem procura uma casa para alugar ou comprar.”

Segundo o levantamento da Offerwise, 31,8% das pessoas sentiram necessidade de ter um escritório em casa, 28,4% passaram a dar mais importância para a área verde ao entorno do imóvel e 25% a áreas de lazer em casa. Dos entrevistados, mais de 11% chegaram a realizar reformas em suas casas.

Motivos das mudanças

Entre os que se mudaram durante a pandemia, os principais motivos para essa decisão foram a necessidade de economizar (18,5%) e de começar uma nova fase com o parceiro (16%). Para 14,5% dos entrevistados, a razão da mudança foi para ter mais espaço e conforto. Morar mais perto do trabalho, por outro lado, foi motivo para apenas 3,6% das pessoas que se mudaram.

Os efeitos da pandemia devem continuar se refletindo na relação dos brasileiros com seus lares e alterando os perfis de buscas por moradia. Segundo a pesquisa, caso precisassem se mudar agora, 28,7% das pessoas buscariam um imóvel mais barato, 19,5% escolheriam uma casa maior e 10,2% procurariam casas e bairros mais silenciosos.

“A pesquisa mostra que os efeitos da pandemia na relação das pessoas com suas casas são os mesmos em todas as regiões do país, o que sugere que não são mudanças passageiras e, de uma forma ou de outra, vão continuar influenciando a demanda e, portanto, o mercado imobiliário ainda por um bom tempo”, diz Julio Calil, Diretor de Contas da Offerwise.

Sobre a Offerwise

Há mais de 15 anos, a Offerwise opta por fazer pesquisas de mercado de maneiras inovadoras. Com um modelo único e exclusivo de recrutamento, a empresa detém o painel mais abrangente e representativo da América Latina e Hispano Americano, com mais de 6 milhões de respondentes. Os escritórios da empresa em diversos países contam com profissionais que conhecem a fundo a dinâmica das pesquisas, compreendem as culturas locais e sabem como atingir seus consumidores.

Detalhes técnicos da pesquisa

  • Pesquisa aplicada à população geral: homens e mulheres, maiores de 18 anos, residentes de todas as regiões do país, das classes ABC – segundo o critério Brasil (ABEP);
  • Entrevistas conduzidas por meio de painel online de consumidores Offerwise, empresa especializada em soluções em pesquisa de mercado online;
  • Amostra nacional de 1500 pessoas entrevistadas;
  • Erro amostral geral de 2,53%;
  • Nível de confiança de 95%.
Quer se mudar para um lugar incrível? Procure seu novo lar no QuintoAndar e alugue sem fiador Pesquisar imóvel