Desde novembro de 2019, de acordo com um levantamento feito pela corretora Necton Investimentos, o comprar um imóvel pra alugar no Brasil é algo que traz mais retorno do que investir a mesma quantia numa aplicação de renda fixa básica. Atualmente, o ganho do aluguel está em 0,40% de rendimento mensal, enquanto o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), por exemplo, se encontra num patamar baixíssimo: 0,16%, conforme destacou a CNN Brasil.

Com esse cenário de 0,40%, o proprietário de uma casa de R$ 500 mil poderia ter como rendimento mensal no aluguel um total de R$ 1.976. Já o mesmo valor do imóvel investido no CDI, dentro desses 0,16%, renderia apenas R$ 800 ao investidor.

Quinto Andar

Anuncie seu imóvel para alugar ou vender com o QuintoAndar: é grátis e sem burocracia! Anunciar

Mudança no patamar de rendimento

Segundo a matéria da CNN, naquele novembro de 2019, quando a virada aconteceu, o rendimento do CDI havia caído a 0,38% ao mês, enquanto a rentabilidade da locação de imóveis registrava 0,39%. 

Ou seja, a pessoa que tivesse um imóvel de R$ 500 mil poderia receber de aluguel R$ 1.967. Enquanto os mesmos R$ 500 mil aplicados no CDI renderiam um pouco menos: R$ 1.900. 

Taxa Selic: menor patamar da história

Conforme destacou a CNN, a renda fixa já chegou a um patamar de render mais que o triplo do mercado imobiliário, num passado não muito distante. Atualmente, a taxa Selic é de 2% ao ano, o menor nível de sua história. No início dos anos 2000, ela chegou a ser superior a 20%. Em agosto de 2016, por exemplo, a Selic alcançou 14,25% ao ano. 

Naquela oportunidade, em 2000, a rentabilidade do aluguel já andava num patamar parecido com o dos dias de hoje, em 0,37%, o que significava um rendimento mensal de aluguel na casa de R$ 1.842 por um imóvel de R$ 500 mil. Esse mesmo valor investido no CDI, à época em 1,2%, renderia nada menos que R$ 6.050 no mês ao investidor. 

É hora de comprar imóveis

A hora pra comprar imóveis, seja pra investir ou pra morar, é a melhor possível, como destaca a reportagem da CNN. Os valores seguem relativamente baixos e os juros no menor patamar histórico tornam os financiamentos mais baratos e vantajosos. 

Não por acaso, diz o artigo, o mercado imobiliário foi um dos setores da economia que reagiu mais rapidamente após o impacto inicial da pandemia de Covid-19. 

Vantagem vai durar?

Mas será que esse cenário de aluguel rendendo mais do que a renda fixa, que já vem estabelecido desde novembro de 2019, vai se manter? 

De acordo com o economista-chefe da Necton Investimentos, André Perfeito, a possibilidade de uma reversão pode acontecer não pelo aumento de juros, mas pela queda na rentabilidade do aluguel. 

“Mesmo que o governo faça um ajuste fiscal e os juros continuem baixos, esses mesmos juros baixos podem levar a uma alta no preço dos imóveis, o que pode fazer a taxa do aluguel ficar menor”, disse André. 

Parece um contrassenso a princípio, mas isso acontece, porque juros muito baixos são uma injeção de estímulo à compra de imóveis, o que tende a aumentar os preços de venda das unidades residenciais. Se os aluguéis não sobem na mesma proporção, o proprietário vê a sua renda mensal ficando menor em relação ao valor do bem que possui. 

De qualquer forma, ao comprar um imóvel, seja pra investir ou pra morar, você terá um bem e uma segurança pra vida toda.