search
Digite sua busca na caixa de pesquisa
report
Nenhum resultado encontrado.

Financiamento

Também conhecido como crédito imobiliário. É o empréstimo concedido por uma instituição financeira especificamente pra pessoa que deseja comprar um imóvel. Esse crédito pode ser feito via Sistema Financeiro de Habitação (SFH) ou via Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

Quando um imóvel é comprado por meio de financiamento ou de forma parcelada, ele fica “alienado”, como garantia pelo pagamento dessa dívida. A alienação significa que o devedor, ou seja, a pessoa que está comprando, tem a posse direta do imóvel e o direito de uso. E, ao mesmo tempo, o credor tem uma posse indireta do bem. Quando a dívida é quitada, o comprador, enfim, passa a ter a posse definitiva do imóvel.

A carta de crédito é um documento representativo do valor disponível pra aquisição de um imóvel residencial urbano. Com o documento em mãos, que na verdade representa um empréstimo de uma instituição financeira, você pode usar o crédito na compra da sua casa própria.

O FGTS pode ser utilizado dentro do Sistema Financeiro Habitação (SFH) – principal programa de financiamento habitacional do país, regulado pelo Governo Federal -, para negociação de imóveis avaliados em R$ 1,5 milhão em qualquer estado do país. Seu uso se encaixa em três modalidades

1. Na compra ou construção de imóvel residencial: o valor é aplicado na hora da contratação, como entrada do financiamento, como parte do pagamento ou mesmo como o valor total do imóvel em questão. O imóvel deve estar localizado no mesmo município onde você trabalha ou comprove sua residência há mais de um ano. Ou nas cidades vizinhas a ele ou integrantes da mesma região metropolitana.

2. Em contratos de financiamento assinados via Sistema Financeiro Habitação (SFH), o FGTS pode ser utilizado para quitação parcial ou total da sua dívida.

3. O FGTS também pode ser utilizado para até 80% do valor das prestações do seu financiamento imobiliário em até 12 meses consecutivos. Desde que, assim como na segunda modalidade, o contrato tenha sido assinado dentro do Sistema Financeiro Habitação (SFH).

É a instituição financeira com a qual é feito um financiamento imobiliário. Ela pode ser pública ou privada. E, obrigatoriamente, deve ter a autorização do Banco Central pra operar com concessão de crédito. O QuintoAndar tem como parceiros os bancos Bradesco, Santander e Itaú. Mas também trabalha com outros, caso seja de preferência do cliente, como Caixa e Banco do Brasil.

É o Sistema Financeiro Imobiliário, que engloba os outros tipos de financiamentos imobiliários que não se enquadram nas regras mais rígidas do SFH. Tem suas condições de financiamento definidas pelos próprios agentes financeiros. E, por conta disso, não tem obrigatoriedades como valor máximo do imóvel, comprometimento de renda e mesmo com limite de juros.

Sigla para Sistema Financeiro da Habitação, o principal programa de financiamento habitacional do país. Pelo SFH, que é regulado pelo Governo Federal, é possível financiar a casa própria no valor de até R$ 1,5 milhão com juros menores que as taxas de mercado em todo o país – máximo de 12% ao ano. É o programa que permite o uso de recursos do FGTS e da Poupança. E é onde estão inseridas iniciativas como o “Minha Casa, Minha Vida”. Pelo SFH, o contratante do crédito só pode comprometer 30% de sua renda bruta com as parcelas mensais.

É o valor que resta pra quitação de uma dívida. Em financiamentos imobiliários, esse saldo sofre reajustes mensais de acordo com o juros e índice firmados em contrato no momento da tomada do crédito.

Documentação

É o registro que as prefeituras mantêm com o cadastro dos imóveis existentes na cidade. Na compra de um imóvel, existe um custo para atualizar a matrícula do bem com o nome do novo dono. E no QuintoAndar, já no anúncio de venda do imóvel, você já sabe qual será esse valor extra que irá precisar pagar.

É órgão onde são feitos os cadastros dos imóveis de uma região, sob um número de matrícula. Um cartório com serviços relacionados exclusivamente ao setor imobiliário, onde é possível solicitar todas as informações a respeito de um imóvel, como dono, características físicas, localização, entre outras coisas de seu histórico desde o registro.

É o órgão onde a transação de compra e venda a vista é formalizada por meio de uma Escritura de Compra e Venda, ou seja, um documento com autenticidade e segurança. O Cartório é responsável por validar a viabilidade da transação, tornando-a oficial.

A Certidão Negativa de Débitos (CND) é o documento que atesta a existência ou não de alguma ação civil, criminal ou na Justiça Federal contra uma pessoa ou bem. E também um comprovante de que essa pessoa ou bem não possui débitos junto a órgãos públicos.

É o documento – com preço, prazo e outras condições – no qual o vendedor se compromete a transferir o domínio do imóvel pro comprador.

A escritura é um documento que deve ser elaborado em Cartório, representando o ato jurídico de transmissão da posse e do domínio de um imóvel que, por determinado preço, o vendedor faz para o comprador. Para que ela tenha valor é preciso que seja registrada no Cartório de Registros de Imóveis onde o bem que está sendo negociado é registrado. Em outras palavras, a escritura é o documento que torna a transação imobiliária oficial.

Documento emitido pelo órgão municipal responsável, após vistoria da fiscalização competente, atestando que um imóvel tem condições de ser habitado.

Tributação e taxas

Além das prestações do financiamento, você terá despesas adicionais. Não por acaso, as instituições financeiras que concedem crédito não aceitam que você comprometa mais de 30% da sua renda no pagamento das parcelas iniciar um processo de compra de um imóvel.

Você precisa ter uma quantia guardada para as despesas extras com documentação e impostos, como o Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), o registro do imóvel e a avaliação bancária, que é a vistoria do imóvel exigida pelos bancos pra liberação do financiamento.

A boa notícia é que no QuintoAndar, já no anúncio do imóvel, você pode ter acesso a esses valores. E, dessa forma, já tem ideia do quanto irá gastar além do preço do imóvel.

E lembre-se: outras contas continuarão a chegar, como IPTU, condomínio, serviços básicos – água, luz, telefone, internet -, alimentação, entre outros. Por isso, é importante ter um bom planejamento financeiro.

É o chamado Imposto de Transmissão de Bens Imóveis, uma tributação gerada e cobrada pelo município onde o imóvel está localizado no momento de uma transação de compra e venda

Como vender um imóvel?

O QuintoAndar é a maior imobiliária digital do Brasil. Lá você anuncia seu imóvel de graça, acompanha o agendamento de visitas pelo aplicativo e tem suas fotos feitas por profissionais parceiros da empresa. Além disso, você recebe propostas de possíveis compradores realmente interessados, por meio dos consultores.

A imobiliária digital intermedia a negociação entre você e o comprador, pra você seguir com mais confiança e segurança até o dinheiro da venda cair na sua conta.

O primeiro passo da venda do imóvel pelo QuintoAndar é a aprovação da proposta. O comprador e o vendedor assinam online o Compromisso de Compra e Venda de forma rápida e segura.

Após receber o sinal, o QuintoAndar verifica os documentos do imóvel e do comprador, sem custos adicionais, pra garantir que vai dar tudo certo com a venda. Leva o contrato até você e o comprador pra assinatura e faz o registro em cartório. Todo esse leva e traz é por conta da empresa. E ninguém perde tempo em fila de cartório.

Depois que a transação estiver completa, você já recebe o valor da venda.

Clique aqui e saiba tudo sobre como vender um imóvel.

Pra estipular o preço do seu imóvel, pesquise opções semelhantes e na mesma região. De preferência na mesma rua. Você pode fazer uma estimativa usando o valor do metro quadrado nos arredores. Por exemplo: você encontrou um anúncio de um imóvel similar na sua rua, de 50 m² e pelo valor de R$ 400 mil. Isso significa que o valor do metro quadrado é de R$ 8 mil (R$ 400 mil dividido por 50). Se o seu apartamento tem 80 ², pra chegar em um valor aproximado, basta você multiplicar R$ 8 mil por 80, o que daria R$ 640 mil.

Mas o QuintoAndar faz todo esse trabalho pra você. A imobiliária digital criou uma calculadora que, a partir do histórico de imóveis parecidos com o seu e que já foram vendidos, gera uma margem de quanto cobrar. Dessa forma, você tem como vender um imóvel mais rapidamente e por um preço justo.

Você pode solicitar esse cálculo durante o preenchimento do anúncio. Com base em informações preenchidas pelo fotógrafo que o QuintoAndar disponibiliza para a sessão de fotos gratuita do imóvel, os consultores fazem o cálculo e passam uma sugestão de preço, que você poderá optar por utilizar ou alterar no anúncio.

Caso o seu imóvel esteja precisando de reparos, vale a pena você resolver todas as pendências antes mesmo de tirar as fotos pro anúncio. Lembre-se que problemas elétricos ou hidráulicos podem demandar algum nível de quebradeira. Portanto, se possível, providencie essas obras o quanto antes, caso deseje colocar o imóvel à venda. Isso pode ser um ponto positivo ao seu favor na hora da negociação.

Além disso, preste atenção também aos pequenos detalhes, como o estado de conservação de portas, janelas, esquadrias, maçanetas, pisos e armários embutidos, por exemplo. É fundamental que você deixe o seu imóvel da forma como você gostaria caso fosse comprá-lo.

Não encontrou a resposta para a sua pergunta?

Entre em contato com a nossa equipe e tire todas as suas dúvidas