Uma mudança de cidade é sempre algo que precisa ser muito bem pensado. Trata-se de uma decisão grande, importante, e que precisa levar em consideração, entre outros fatores, o aspecto financeiro. Pois se este for o seu momento de vida e o seu local de destino for a Capital Paranaense, temos boas informações para te dar por aqui sobre o custo de vida em Curitiba.

Navegue pelo conteúdo:

Saiba um pouco mais sobre Curitiba

Capital do Paraná, um dos cinco estados com maior PIB do Brasil, de acordo com o IBGE, Curitiba aparece na 10ª posição no ranking de cidades com maior IDH do Brasil (0,823).

Na Capital Paranaense, os setores de Indústria e Serviços são pilares na economia. E, além disso, outros índices como empreendedorismo e urbanismo são tão positivos que fazem da cidade uma das mais inteligentes do país, segundo o Ranking Smart Cities 2021.

Outra característica da cidade é o fato de ela ser uma referência em áreas verdes, que ocupam um total de 400 mil m2 da cidade e se aproximam do equivalente a 70m2 por habitante. Ao todo, são pelo menos 1.140 Unidades de Conservação para o morador da cidade conviver mais perto da natureza.

Agora, se você pretende viver em uma cidade com clima mais ameno, deve saber que, de fato, Curitiba é uma das capitais mais frias do país. Ou seja, o inverno na cidade marca temperaturas bem baixas, principalmente por conta da posição geográfica distante dos trópicos.

Mas será que morar em Curitiba pode ser bom para você financeiramente? Veja a seguir se os custos cabem no seu bolso e, principalmente, se você se identifica com os estilos de vida da cidade.

Seu inquilino não pagou? O QuintoAndar depositou.
Seu inquilino não pagou? O QuintoAndar depositou. Saiba mais

É bom viver em Curitiba?

Se você não abre mão dos benefícios de conviver com espaços verdes e quer contar com os serviços e as facilidades de uma rotina bem urbanizada, morar em Curitiba pode ser uma excelente opção.

Além de ser sustentável e referência em mobilidade, a Capital Paranaense oferece muitas vantagens para quem busca qualidade de vida. Agora vamos falar um pouco mais sobre alguns dos principais custos do dia a dia em Curitiba.

Qual é o custo de vida em Curitiba?

Talvez você esteja se perguntando se é caro morar em Curitiba. Olha, considerando os custos de viver em uma cidade grande e bastante desenvolvida, você vai notar que as diferenças podem não ser tão significativas. Isso vai depender mais de como é seu estilo de vida e quais são suas prioridades.

Moradia

Com uma consulta ao site participativo Custo de Vida, trazemos aqui uma comparação da cidade com outros lugares. Para se ter uma ideia, o aluguel de imóveis de diferentes categorias em Curitiba pode ser bem mais em conta do que São Paulo (SP), por exemplo.

Na Capital Paranaense, o valor médio que se paga pelo aluguel de kitnets ou apartamentos de pelo menos três quartos pode ser até 70% menor do que em São Paulo. No Rio de Janeiro, uma kitnet pode custar quase o mesmo valor, mas em regiões mais nobres, é possível pagar 15% a mais para morar em um imóvel carioca.

Já os imóveis com dois ou três dormitórios podem sair pelo menos 40% mais em conta em Curitiba.

Alimentação

Em Curitiba, o valor da cesta básica em abril de 2022 foi de R$ 701,59, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), valor que fica entre as dez mais altas das 17 capitais verificadas.

Em relação a São Paulo e Rio de Janeiro, que também estão entre as cestas mais caras, fazer compras nos supermercados pode não sinalizar uma diferença tão considerável.

Mas entre essas capitais, os preços de alguns alimentos ainda variam um pouquinho. Por exemplo, segundo o site Custo de Vida, comprar 5 kg de açúcar em Curitiba pode custar quase 50% a mais em relação às outras capitais do Sudeste.

Já na hora de comer fora de casa em um restaurante mais caro, as refeições têm uma diferença pequena em relação ao Rio de Janeiro: 4,8% a menos. Já os restaurantes de São Paulo, mesmo os mais baratos, podem custar até 20% a mais.

Transporte

Além do frio, outra característica da Capital Paranaense é o esquema de mobilidade urbana, que é referência mundial desde a década de 1970, quando passou a utilizar a conversão de ruas em eixos de transporte por meio do esquema de ônibus de trânsito rápido (Bus Rapid Transit, o BRT).

Linhas de ônibus em Curitiba

Só que diferente de Rio e SP, Curitiba não conta com metrô. Por isso abastece o deslocamento de seus moradores com diversas logísticas de ônibus que funcionam com embarques variados: terminais, estações-tubo e pontos de ônibus. Para você entender melhor, essas categorias de linhas são:

  • Expresso Ligeirão: veículos biarticulados com número reduzido de paradas, embarque e desembarque em terminais e estações-tubo;
  • Expresso: veículos tipo biarticulados que ligam os terminais de integração ao centro da cidade com canaletas exclusivas, tem embarques e desembarques pelos terminais e nas estações-tubo no trajeto;
  • Linha Direta (Ligeirinho): linhas complementares de veículos que fazem paradas em média a cada 3 km, com embarque e desembarque em estações-tubo e conecta linhas expressas e interbairros;
  • Interbairros: veículos tipo padron ou articulados que ligam diversos bairros e terminais sem passar pelo Centro; 
  • Alimentador: veículos tipo micro, comum ou articulados que ligam os terminais de integração aos bairros de cada região;
  • Troncal: veículos tipo padron ou articulados que ligam os terminais de integração ao Centro utilizando vias compartilhadas;
  • Linhas Especiais
    • Circular Centro – que opera com veículo tipo micro-ônibus e atende os principais pontos da região central de Curitiba, como praças, shoppings, Rodoviária e Biblioteca Pública, mas com tarifa diferenciada; 
    • Convencional – com veículos tipo micro ou comum que ligam os bairros ao Centro da cidade, sem integração.

Atualmente, os custos para utilizar as principais linhas desse sistema têm valor um pouco acima em relação a outras capitais, com o preço da passagem custando R$ 5,50 em Curitiba.

A novidade é que, desde abril, quem usa o transporte público pode pagar a passagem com cartão de crédito ou débito nas estações-tubo e terminais da cidade. Só que, nesse caso, vai ter uma diferença de R$ 0,12 em relação ao valor da passagem paga em dinheiro ou cartão do usuário, por causa da taxa paga às operadoras.

Táxi e Uber

É muito comum que os moradores de Curitiba utilizem os serviços de motoristas de aplicativo para seguir uma baldeação em certos trechos do deslocamento. Mas, para você ter uma ideia, a diferença entre a bandeirada do táxi na Capital Paranaense, em relação a São Paulo e Rio de Janeiro, sai entre 60% a 75% mais caro, na tarifa normal.

Lazer e cultura

Quem não gosta de aproveitar as horas de lazer para assistir espetáculos, peças de teatro, filmes, jogos de futebol, curtir o lazer ao ar livre e praticar atividades físicas? Na Capital Paranaense, a programação cultural é recheada e, na comparação com Rio e São Paulo, você vai ver que os custos dessas atividades têm valores mais parecidos com os cariocas:

  • Teatro: o ingresso de uma peça pode custar quase 50% a menos do que em São Paulo, enquanto no Rio tem uma diferença de 5%;
  • Cinema: para ver um filme, o valor é basicamente o mesmo do que o nos cinemas cariocas, mas pagar pela inteira pode sair 28% mais em conta do que em SP;
  • Futebol: ver o time jogar em Curitiba ou no Rio dá praticamente o mesmo peso no bolso, mas nos estádios paulistas pode chegar a custar 13% a mais;
  • Show: assistir aos espetáculos de artistas nacionais pode custar quase 50% a menos do que em São Paulo, mas no Rio essa diferença costuma ser mínima;
  • Academia: a mensalidade costuma ser mais barata, de 20 a 25%, do que no Rio e em São Paulo.

Educação

Como a gente já viu anteriormente, os índices de qualidade estão pela Capital Paranaense em diversos setores, dentre eles a educação (IDH 0,768). Agora, é provável que você encontre algumas diferenças entre as mensalidades nos níveis de ensino na comparação com Rio e São Paulo:

  • Infantil: os custos com o ensino dos pequenos variam muito pouco, 4% a menos do que em SP e 2% a mais do que no RJ;
  • Fundamental: as mensalidades podem ser de 7 a 11% mais em conta do que no eixo Rio-SP;
  • Médio: em SP pode ser 3,5% mais em conta, mas no Rio, encarece quase 30%;
  • Superior (Administração): você pode encontrar mensalidades até 20% mais caras do que na terra da garoa, já no Rio elas poderão ficar quase 70% mais caras.

+ Leia também:
– Conheça as 19 melhores escolas particulares em Curitiba

Custo de vida em Curitiba: que tal morar para sentir?

O custo de vida é apenas um entre os fatores de escolha de uma cidade para morar. Com conteúdos como este, além de outros sobre Curitiba, a gente procura te dar as melhores informações possíveis sobre uma cidade, para te ajudar no seu processo de tomada de decisão. 

E uma vez que você decide se mudar, seja de uma cidade para outra ou dentro da mesma região, é aí que o QuintoAndar pode facilitar ainda mais sua vida. Em nossa plataforma, temos diversos imóveis, entre casas e apartamentos, para alugar em Curitiba. Que tal dar uma olhada e ver se não encontra o seu próximo lar?